Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página inicial > IFTM Campus Uberaba > Últimas Notícias > Núcleo de Estudos Afrobrasileiros e Indígenas promove palestra sobre “As matrizes africanas e o patrimônio imaterial”
Início do conteúdo da página
Notícias

Núcleo de Estudos Afrobrasileiros e Indígenas promove palestra sobre “As matrizes africanas e o patrimônio imaterial”

A iniciativa partiu do grupo Raízes do Brasil Centro Cultural de Capoeira

  • Por IFTM Campus Uberaba
  • Publicado em 26/07/2017 às 14:34
  • Última modificação 26/07/2017 às 15:49
Início da palestra ministrada por Juno Viera
Início da palestra ministrada por Juno Viera
Crédito: Gleisson Marques

Na última semana, dia 19 de julho, o Núcleo de Estudos Afrobrasileiros e Indígenas do Instituto Federal de do Triângulo Mineiro (NEABI/IFTM) realizou a palestra “As matrizes africanas e o patrimônio imaterial”, ministrado por Juno Alexandre Vieira Carneiro, membro do grupo, técnico em arquivos do Campus Uberaba e historiador.

A iniciativa faz parte do ciclo de estudos mensal do Grupo Raízes do Brasil Centro Cultural de Capoeira, associação sem fins lucrativos, fundado em 1980, com o objetivo de difundir a cultura afrobrasileira por meio da capoeira.

Inicialmente, foram apresentados os fundamentos da política nacional de patrimônio imaterial, com destaque para os bens culturais de matriz africana que obtiveram reconhecimento pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

Em seguida, houve a apresentação de vídeos institucionais sobre quatro bens culturais: Jongo do Sudeste, Samba de Roda do Recôncavo Baiano, Ofício das Baianas de Acarajé e Tambor de Crioula do Maranhão.

“Os convidados destacaram a importância dos bens culturais imateriais e solicitaram esclarecimentos sobre as vantagens do registro, problemas enfrentados para a permanência dos bens após o registro e questões pertinentes ao patrimônio cultural de Uberaba, que apresenta número significativo de patrimônios imateriais reconhecidos na esfera municipal”, explicou Juno Vieira.

Gleisson Marques Gonçalves Costa, servidor do IFTM Campus Uberaba, historiador e contramestre destaca que “o estudo mostra e, ao mesmo tempo, provoca uma conscientização coletiva no acompanhamento e na formatação de políticas acerca do assunto. Para os alunos, o assunto vai ao encontro das nossas propostas de estudos mensais. Além de auxiliar e incentivar o aprofundamento de pesquisas sobre o tema”.

Em atividade desde setembro de 2016, o NEABI/IFTM tem entre os seus objetivos promover a realização de atividades de extensão como cursos, seminários, palestras, conferências e atividades artístico-culturais voltadas para a formação inicial e continuada, sobretudo a articulação a coletivos e grupos de matrizes africanas na cidade e região de Uberaba.



Assunto(s):
Fim do conteúdo da página