Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página inicial > IFTM Campus Uberaba > Últimas Notícias > Fundação Cultural trabalha no processo para eleger membros do Conphau
Início do conteúdo da página
Notícias

Fundação Cultural trabalha no processo para eleger membros do Conphau

O IFTM é membro com assento no Conselho

  • Por IFTM Campus Uberaba
  • Publicado em 18/05/2018 às 00:40
  • Última modificação 18/05/2018 às 00:40

O Conselho de Patrimônio Histórico e Artístico de Uberaba (Conphau) lançará em breve o edital para os interessados em representar o Conselho. Na última semana, a Seção Municipal de Patrimônio Histórico e Cultural (Sempac) realizou uma reunião de orientação para a eleição de novos membros, na sede da Fundação Cultural de Uberaba. O Presidente, Antônio Carlos Marques, falou acerca das responsabilidades e desafios do Conselho para com o patrimônio da cidade. Maria Aparecida Manzan, historiadora do Sempac, apresentou o trabalho desenvolvido pela equipe técnica do conselho e a função dos membros.

O edital deve seguir os padrões de editais de outros municípios conforme orientações do IPHAN, fazendo uma adaptação para Uberaba, de acordo com a Lei Municipal do Patrimônio Cultural 10.717/2008. O chamamento público será postado no Porta Voz e o prazo de inscrição deve durar cerca de uma semana. Os interessados como representante da sociedade civil deverão enviar currículo para análise. Haverá um representante e um suplente para cada instituição. Participaram da reunião a Fundação Cultural, Procuradoria Geral do Município, Secretaria de Educação, Secretaria de Defesa Social, Trânsito e Transporte – SEDEST, Superintendência de Arquivo Público, Universidade Federal do Triângulo Mineiro - UFTM, Universidade de Uberaba - UNIUBE, Instituto de Engenharia e Arquitetura do Triângulo Mineiro - IEATM, Museu do Zebu, Instituto Federal do Triangulo Mineiro – IFTM, SESI FIEMG – Centro Cultural Sesiminas, Câmara dos Dirigentes Lojistas de Uberaba - CDL e representantes da sociedade civil.

Segundo Maria Aparecida Manzan, o candidato precisa entender o valor da preservação histórica. “Os eleitos entrarão para dar peso ao Conphau, já que o patrimônio é da sociedade civil e o conselho é montado por pessoas que tem voz ativa e interesse na preservação do patrimônio Histórico. Os membros selecionados trabalharão junto com a equipe técnica. A meta é formar um conselho de pessoas conscientes e interessadas na preservação histórica da cidade”, afirma a historiadora.

A arquiteta Daniella Velludo, Chefe da Seção de Patrimônio Histórico e Cultural, esclarece o papel e as funções do Conphau. “O Conselho de Patrimônio Histórico e Artístico de Uberaba, órgão colegiado, consultivo e deliberativo, tem uma atuação importante para preservação dos bens materiais e imateriais de Uberaba. Conforme a Lei Municipal 10.717, que estabelece normas de proteção do Patrimônio Cultural, compete ao conselho propor as bases da política de preservação e valorização dos bens, acompanhar as ações de proteção e emitir pareceres de Tombamentos, Registros e Inventários”.

Manzan explica que é de grande importância a participação dos interessados, visto que sem a apreciação do Conphau não se pode aprovar nenhum projeto. O Conselho será composto por historiadores, arquitetos, engenheiros, membros do patrimônio imaterial que lutam em prol da cultura popular, paisagistas, entre outros. É preciso ressaltar que os interessados precisam conhecer amplamente e respeitar a Legislação.

 

Fonte: Folha Uberaba



Assunto(s):
Fim do conteúdo da página